Posts Marcados Mostra

SEDA – Semana do Audiovisual

Com mais de 50 edições no país, a Seda começou no mês de maio e vai até agosto. A SEDA é a Semana do Audiovisual é um festival de cinema integrado em rede que tem como objetivo criar plataformas de circulação entre as dezenas de edições.

Site oficial: http://seda.foradoeixo.org.br/wp/

A programação envolve Oficinas, Mesas de Debate, Sessões de Cinema, Performances e outras manifestações artísticas com o princípio de formar novos pensamentos e de conectar agentes locais  para criar e fortalecer as estruturas da produção audiovisual. A SEDA é organizada pelo Clube de Cinema, frente audiovisual do Fora do Eixo, que pensa a estruturação das cenas locais, criando vias de escoamento da produção emergente, abrindo rotas para circulação dos agentes que buscam fortalecer um novo mercado cultural.

A SEDA começou em  Taquaritinga – São Paulo, , passou por São Carlos, chegou a Minas em Poços de Caldas, Ouro Preto… e contando…


Em Juiz de Fora ela também vem com força total! De 11 a 18 de junho, a Seda contará com convidados para debater possibilidades culturais para o audiovisual, oficinas para formação de agentes, mostras de filmes e muita, muita discussão sobre cinema, audiovisual,distribuição, cultura, políticas publicas e mais!

Shows, performancês cênicas, lançamento de revista, banquinha de cds, livros e filmes! Muitos filmes!

Acompanhe a programação por aqui http://sedajf.wordpress.com/


, , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Cão Sem Dono no Cineclube Sem Paredes!

Mais uma quinta, mais um Cineclube Sem Paredes! Novamente prestigiando a produção nacional o filme “Cão Sem Dono” é baseado no livro Até o Dia em que o Cão Morreu, de Daniel Galera.

             

O longa retrata a vida de Ciro, um jovem sem grandes pretensões na sua vida. Tradutor de russo, raros são os trabalhos que aparecem para que ele pague suas contas, e os poucos que surgem, dificilmente valem a pena. Na falta opção, recorre aos pais para sobreviver. O porteiro de seu prédio, um pintor das horas vagas, com quem fala eventualmente, é o maior amigo que tem. Sua companhia mais recorrente, então, é um cachorro de rua, sem nome, que o seguiu até seu apartamento e vive lá desde então. Assim como o vira-lata, Ciro é um Cão Sem Dono.

Marcela, uma modelo em início de carreira, recém-chegada do interior e com grandes planos para o futuro, surge na vida de Ciro apenas como um passatempo. Avesso aos relacionamentos, ele procura não se aproximar muito da jovem. A insistência de Marcela, aliada a um acidente que ela sofre, acaba fazendo com que os dois vivam uma relação bem mais íntima do que ele poderia esperar. Quando Ciro, enfim, percebe que seu sentimento pela modelo é mais forte do que ele imaginaria, pode ser tarde demais.         

A produção ganhou muitos prêmios como o o troféu Calunga de melhor filme e troféu ACPA de melhor roteiro. O filme remete a vida e ao que fazemos dela. O momento em que parece não haver o que esolher e quando não se tem mais escolha.

Cão Sem Dono. Em cartaz no Anfiteatro João Carriço, prédio da Funalfa esquina da Rio Branco com a Halfeld. Manifeste-se através do evento! Se interessou? Veja o trailer Venha vê-lo quinta as 19h15!

, , , , , , ,

Deixe um comentário

O Bordel Sem Paredes, em sua última sessão do ano apresenta: “Taxidermia”

Para fechar ano com chave de ouro, o Cineclube Bordel Sem Paredes apresenta o filme “Taxidermia”. O longa acompanha três gerações de homens de uma mesma família húngara. Três seres a parte, cada um deles com uma estranha relação com o seu próprio corpo. Vendel Morosgoványi (Csaba Czene) é um militar de baixa patente que exterioriza as suas necessidades sexuais da melhor (e mais original) forma que pode. O seu filho, Kálmán Balatony (Gergely Trócsányi) pôs a render a sua compulsão por comida em concursos internacionais. Do seu casamento com Gizi Aczél (Adél Stanczel), também ela uma campeã de comida, nasce Lajos (Marc Bischoff), um escanzelado taxidermista, condenado a cuidar do seu pai imóvel e dos seus três enormes gatos.

Taxados por muitos como uma comédia negra, filme de terror ou apenas uma produção artística, “Taxidermia” é um filme de difícil definição de gênero. O fato é que o longa é uma realização diferente, intensa, perturbadora, interessante e extremamente original.

Quer tirar suas próprias conclusões? Assista ao Taxidermia nessa quinta-feira (22/12) no Anfiteatro João Carriço às 19:00h – Av. Rio Branco, 2234 (Prédio da FUNALFA) – Parque Halfed. A entrada é franca!

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Hoje é dia Baile Perfumado no Cineclube Bordel Sem Paredes.

O Cineclube Bordel Sem Paredes exobe hoje o filme Baile Perfumado. Considerado um dos melhores filmes de 1997, o longa mostra à relação do fotógrafo Benjamim Abrahão (Duda Mamberti) com o notório cangaceiro Lampião(Luís Carlos Vasconcelos), quando o libanês se embrenhou no sertão nordestino para revelar, em um documentário, a rotina do bando do temido e admirado Virgulino Ferreira.O documentário de Abrahão capta Lampião em momentos comuns de fé e demonstração de liderança e confraternização com os outros bandoleiros.
“Baile Perfumado” traduz um Brasil de sonhos,de lutas e de disputa pelo poder . O Nordeste que abriga Lampião é o signo de um país que se constitui sobre o anátema da beleza e do perigo constante (leia-se o temor da violência).Hoje, QUINTA-FEIRA – 15/12 – ANFITEATRO JOÃO CARRIÇO – 19 HORASAv. Rio Branco, 2234 (Prédio da Funalfa) – Centro. A entrada é franca!

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Como foi a Audiência Pública da Música e o Cineclube Bordel.

A tarde de ontem foi marcada pela Audiência Pública que tratou a inserção dos músicos de Juiz de Fora na mídia local. Entre os presentes, artístas, representantes das rádios de JF e produtores culturais.

O objetivo é garantir que os trabalhos produzidos na cidade com o apoio das leis de incentivo, possam também ser divulgados para toda a população Juiz Forana. Minas Gerais é o estado do Brasil que mais exporta músicas, com a qualidade artística de nossa região, não é difícil inserir Juiz de Fora nesse eixo. É preciso um suporte maior da mídia local, para gerar um interesse na população e fazer com que possa haver a circulação do material que é produzido, que muitas vezes ficam estagnados na Funalfa e na mão dos artístas.De acordo com o vereador Flávio Cheker, a produção de JF é alta e de qualidade indiscutível, porém, a dificuldade é fazer com que a produção chegue nas mãos do público. Esse na verdade é um desafio do novo mercado fonográfico que está se consolidando a partir da queda do antigo modelo dominado pelas grandes gravadoras. Hoje a autogestão dos artistas e plataformas de distribuição independentes estão cada vez mais fortes, e são construídas pelos próprios artistas.Juiz de Fora é uma cidade com um nível artístico excelente. É preciso fazer com que nossas mídias cedam o espaço também para a produção regional e não veiculem só o que vem de fora.

A noite, o Cineclube Bordel Sem Paredes exibiu o filme If de Lindsay Anderson. A chuva não espantou os cinéfilos presentes que assistiram ao primeiro filme do ator Malcolm McDowell.

Pós filme, foi a vez daquele bate papo sobre a obra, que agradou muito a todos os presentes. A conversa também gerou idéias sobre os possíveis filmes a serem exibidos ano que vem no Cineclube. O ano está acabando e ainda restam mais duas sessões a serem apresentadas.Saiba mais sobre o Cineclube Bordel Sem Paredes, participe com a gente!

, , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Cineclube Bordel Sem Paredes exibe o filme “IF…”

Nesta quinta feira (08/12), o Cineclube Bordel sem Paredes apresenta o filme “IF…” de Lindsay Anderson. O longa é a estréia do ator Malcolm McDowll (inesquecível laranja mecânica), que faz o papel de Mick Travis, um estudante sem medo, que desafia as pessoas que ele julga responsáveis por seu sofrimento, um jovem a favor da violência e revolução. Porém, longe de ser um papel tão perverso como no filme de Kubrick, em IF… McDowll é um jovem seguro, que acredita que suas capacidades vão além dos muros da rígida escola privada inglesa.

Remanescente do movimento do Free Cinema, na Inglaterra, Lindsay Anderson dirigiu e co-produziu “If…”, em 1968. Filme este que o consagrou, levou a Palma de ouro em 69 e você assiste na Quinta Feira, no Cineclube Bordel sem Paredes.

O Cineclube acontece no Anfiteatro João Carriço – 19 Horas  – Av. Rio Branco, 2234 (Prédio da Funalfa) – Centro. E a entrada é franca!

, , , , , , ,

Deixe um comentário