Posts Marcados Anfiteatro João Carriço

Cão Sem Dono no Cineclube Sem Paredes!

Mais uma quinta, mais um Cineclube Sem Paredes! Novamente prestigiando a produção nacional o filme “Cão Sem Dono” é baseado no livro Até o Dia em que o Cão Morreu, de Daniel Galera.

             

O longa retrata a vida de Ciro, um jovem sem grandes pretensões na sua vida. Tradutor de russo, raros são os trabalhos que aparecem para que ele pague suas contas, e os poucos que surgem, dificilmente valem a pena. Na falta opção, recorre aos pais para sobreviver. O porteiro de seu prédio, um pintor das horas vagas, com quem fala eventualmente, é o maior amigo que tem. Sua companhia mais recorrente, então, é um cachorro de rua, sem nome, que o seguiu até seu apartamento e vive lá desde então. Assim como o vira-lata, Ciro é um Cão Sem Dono.

Marcela, uma modelo em início de carreira, recém-chegada do interior e com grandes planos para o futuro, surge na vida de Ciro apenas como um passatempo. Avesso aos relacionamentos, ele procura não se aproximar muito da jovem. A insistência de Marcela, aliada a um acidente que ela sofre, acaba fazendo com que os dois vivam uma relação bem mais íntima do que ele poderia esperar. Quando Ciro, enfim, percebe que seu sentimento pela modelo é mais forte do que ele imaginaria, pode ser tarde demais.         

A produção ganhou muitos prêmios como o o troféu Calunga de melhor filme e troféu ACPA de melhor roteiro. O filme remete a vida e ao que fazemos dela. O momento em que parece não haver o que esolher e quando não se tem mais escolha.

Cão Sem Dono. Em cartaz no Anfiteatro João Carriço, prédio da Funalfa esquina da Rio Branco com a Halfeld. Manifeste-se através do evento! Se interessou? Veja o trailer Venha vê-lo quinta as 19h15!

, , , , , , ,

Deixe um comentário

“Morrer Como Homem” no Bordel Sem Paredes

Nesta Quinta Feira (22), o Cineclube Bordel Sem Paredes, leva à tela, um filme português de  João Pedro Rodrigues selecionado para Cannes em 2009: “Morrer Como Homem” é um retrato da vida de um Travesti; com muita profundidade e sensibilidade, penetra nessa realidade  como nunca feito antes.

O filme mostra a história de “Tónia”, um transformista homossexual em fim de carreira que vê seu estrelato ameaçado pela concorrência das artistas mais novas. Pressionada pelo seu jovem namorado Rosário a assumir a identidade feminina, submete-se a uma operação de mudança de sexo. Tónia luta contra as suas convicções religiosas mais profundas: se, por um lado, quer tornar-se a mulher que Rosário tanto deseja, por outro, acredita que perante Deus nunca poderá ser essa mulher.

Esse filme compõe a programação do Cineclube como uma forma de investigar o cinema feito em Portugal, que é pouco pesquisado e visto nas telas brasileiras, mas conta com filmes de enorme valor artístico e cinematográfico.

A sessão será às 19:00 no Anfiteatro João Carriço, no Prédio da Funalfa. Acompanhe pelas redes sociais do Coletivo Sem Paredes mais informações: facebook e twitter.

Esperamos todos por lá.

, , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Cineclube Bordel Sem Paredes: “Estrada Real da Cachaça”

O filme dessa semana no “Cineclube Bordel sem Paredes” é o documentário “Estrada Real da Cachaça”. Dirigido por Pedro Urano, o filme ganhou melhor documentário no festival do Rio e do Festival Internacional de Cine de Mar Del Plata, obteve também êxito de crítica e público no ano de 2010 na Mostra de Cinema de Tiradentes ao tratar de um tema repleto de significados para nós mineiros.


A história da cachaça se confunde com a formação e o desbravamento extrativista do Brasil, o documentário refaz o trajeto da antiga Estrada Real que vai de Januária no Norte de Minas até o mar do Rio de Janeiro.

Ao tratar sem julgamentos morais o caráter sociocultural da pinga, o documentário conquista o espectador com sensibilidade, retratando a bebida em seus diversos aspectos, como facilitador da coletividade em festas de rua, como consolo dos garimpeiros sem dinheiro ou uma mistura dos dois, no caso das lavadeiras que se consolam e se celebram na bebida.

O filme será exibido nesta quinta-feira, às 19 horas no Anfiteatro João Carriço – Av. Rio Branco, 2234 (Prédio da FUNALFA) – Centro. Mantenha-se informado nas redes sociais do Coletivo Sem Paredes (facebook e @semparedesjf).

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Mostra de Curtas: Cineclube Bordel Sem Paredes

No dia 29 de fevereiro, o Grito Rock Juiz de Fora abre as portas para uma Mostra de Curtas a serem exibidas em parceria com Cineclube Bordel Sem Paredes, grupo cujo objetivo é apresentar filmes pouco conhecidos do grande público, produção autoral e independente, brasileira e internacional!

Di melo – O Imorrível; Temporão e Remixofagia – Alegorias de uma Revolução é o programa de curtas da segunda edição do maior festival integrado na cidade.

Di Melo – O Imorrível:

Numa trilha sonora cheia de soul e suingue, que mistura black music com o som do nordeste, Di Melo – O Imorrível foi um projeto idealizado por Alan Oliveira e Rubens Pássaro. Di Melo lançou apenas um disco, em 1975, e apesar do relativo sucesso alcançado, o compositor se decepcionou com os lucros e resolveu dar um fim precoce a própria carreira, sendo redescoberto décadas mais tarde por DJs brasileiros e ingleses. O documentário tenta desvendar o mito em torno desse artista recifense que sumiu por mais de 30 anos, apresentando depoimentos de pessoas ligadas a vida e a carreira do músico, o que torna a obra também um resgate da música brasileira.

Temporão:

Temporão trata-se de um documentário que parte do fenômeno do “deja vu”, aquela impressão/sensação de já ter visto algo antes, para discutir o tempo de forma abstrata, experimental e poética. O curta apresenta diversos relatos de experiências e teorias diversas que buscam explicar o fenômeno; e a narrativa é recheada de imagens em fusão, entrelaçada com uma metáfora indiana, que conta a história de sete cegos e um elefante.

Remixofagia – Alegorias de uma Revolução:

Remixofagia – Alegorias de uma revolução, é um remix de imagens sobre a cultura no Brasil, o país do remix dos mais variados sangues e origens. Ao mesmo tempo que apresenta uma breve visão que conecta os índios Caetés ao Movimento de Cultura Digital, também propõe uma reflexão profunda sobre o momento que vivemos: momento de redes de empreendimentos culturais emancipatórios que se desenvolvem em bloco e em toda extensão do país.

A Mostra de Curtas acontecerá no dia 29 de março, às 19 horas, no Anfiteatro João Carriço (segundo andar do prédio da Funalfa, no Parque Halfeld).

Confirme já sua participação no evento que é gratuito e aberto a todos que queiram um noite repleta de arte, cultura e reflexão.

, , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Compacto.Cine: Bollywood Dream

O Grito Rock Juiz de Fora chega a partir do dia 28 de fevereiro falando diversas linguagens e interagindo com os mais variados espaços da cidade!

Através do Cineclube Bordel Sem Paredes, a programação audiovisual vem com dois dias de filmes: no primeiro traz a exibição do longa Bollywood Dream e, no segundo, uma mostra de curtas.

Compacto.Cine é a marca da Distribuidora de Filmes Fora do Eixo que busca valorizar e difundir a produção independente autoral através do lançamento e exibição nacional de uma obra no circuito alternativo. A estréia do projeto traz Bollywood Dream para Juiz de Fora, primeiro filme da programação audiovisual do #GritoJF, exibido na terça-feira dia 28/02, às 19 horas, no Anfiteatro João Carriço (segundo andar do prédio da Funalfa, no Parque Halfeld).

Bollywood Dream conta a história de três atrizes brasileiras que resolvem tentar a vida na indústria cinematográfica indiana; mas, uma vez inseridas no coração da cultura e da mitologia local, seus sonhos se modificam no contraste entre o Oriente e o Ocidente, o ancestral e o novo, entre os valores individuais e coletivos. Confira o trailer:

Segundo a cineasta Beatriz Seigner, que dirigiu o longa e é também uma das organizadoras da Mostra de Cinema Indiano em São Paulo, a co-produção Brasil-Índia fala de sonho, mas com um pé na realidade – uma trama que discorre sobre mudanças de trajetos e objetivos, descobertas interiores e exteriores.

Trailer Oficial do filme “Bollywood Dream – O Sonho Bollywoodiano” from Beatriz Seigner on Vimeo.

Participar desse evento é prestigiar o cinema independente! Confirme sua presença no facebook, a entrada para a exibição é gratuita e todos os interessados são bem-vindos!

, , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Cineclube Bordel Sem Paredes: Female Trouble

Essa semana o filme a ser exibido pelo Cineclube Bordel Sem Paredes será Female Trouble, obra de direção e roteiro que impressiona por John Waters, o filme conta ainda com a personagem Divine, figura marcada do longa Pink Flamingo, já exibido no Bordel.

Nesse filme, Waters engrandece o conceito de “Problemas Femininos”, em um tributo aos melodramas sobre “delinqüência juvenil”.

A mocinha da história, Divine, musa travesti de John Waters, está sensacional como a adolescente, que foge de casa para uma vida de prazeres libertinos, tudo porque ela não ganhou seu sapato de “chá-chá-chá” no Natal. Na fuga, ela é molestada por um vil motorista (que também é interpretado por Divine – essa é a idéia de “amor a si mesmo” de Waters?). No entanto, ela não deixa que a maternidade interfira nos seus planos de estrelato e se transforma em uma bizarra apresentadora de um espetáculo apocalíptico.

O quarto filme de Waters, continuação do grande hit Pink Flamingos, é cinematograficamente similar, porém, mais primitivo, alegremente vulgar e totalmente subversivo, confira algumas imagens:

Mantenha-se informado sobre as exibições das semanas através do twitter do Cineclube Sem Paredes (@cineclubebordel) e participe do evento aberto para acompanhar a exibição desse filme!

Confirme sua presença! 19 horas, quinta-feira, 02/02, a primeira ocupação de fevereiro no Anfiteatro João Carriço do Cineclube Bordel Sem Paredes, esperamos você.

, , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Anna Karenina, nas telas do João Carriço

Ontem foi a exibição do épico russo que já contou com várias filmagens, uma obra baseada no livro homônimo de Leon Tolstoi: Anna Karenina.

Um longa bastante interessante com um roteiro inquestionavelmente épico, conta a história de um romance durante o czarismo russo com retoques especiais que mostram a profundidade crítica e a persectiva de sociedade presente em toda a obra.

Uma experiência bastante marcante que faz perceber a interação que o cinema possibilita ao pensar a sociedade e viver a literatura, fazendo com que os acontecimentos banalizados sejam visto de uma pontos de vista diferentes, de maneira questionadora.

Na próxima quinta-feira haverá mais uma exibição do @cineclubebordel, não perca a oportunidade de participar da exibição e, com certeza, se impressionar com mais uma obra cinematográfica.

, , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário