SEDA Sabará

04/11/2011

Venho aqui mais uma vez, contar o que está rolando na SEDA Sabará. Esses últimos dias foi de intenso trabalho, fluxo intenso de trocas. Na terça a oficina foi de gravações, usamos a Casa Fórceps de locação, O Quarto da Raíssa e da Amanda virou o quarto de nossa personagem Aléxia, em diversos momentos. O dia correu muito rápido, com vários planos para fazer demandando muito de nossa equipe formada pelas oficinandas.

 

Suco de abacaxi e tudo acabou mais uma vez em mostra, dessa vez com o filme Remanescentes da Sombra, um filme gravado no norte com menos de 1000 reais, com uma produção realmente de impressionar com a quantia de dinheiro investida, e realmente me envolvi com o enredo e a dramaturgia.

Fomos para BH para onde eu dei um rolé por várias casas de shows, conheci diversas casas de shows pela cidade, comi um pastel muito bom e depois voltei numa longa viagem de volta a Sabará.

Hoje usamos a tarde para gravar o resto do filme na Biblioteca, o mesmo local da mesa de discussão que foi muito produtiva, com a presença de Rodrigo Boillet (Cine mais Cultura/RJ),Renata de Oliveira (CNC Sudeste), Sávio Leite (MUMIA), João Rafael (Cinebrasa/ Sabará), Leonardo Barbosa (Pcult /  Brasília), Gian Martins (Cineclube Bordel Sem Paredes/ Juiz de Fora), Guilherme Ribeiro  (Joaquim Ribeiro Sadi / Ipatinga), onde discutimos Cineclubes e novas plataforma de distribuição, Transformação social e Formação Livre, Conversas infinitas e muita confluência de idéias. Amanha, vamos gerar um documento com tudo o que estamos encaminhando e divulgaremos publicamente, o cineclubismo está se articulando em todo o país e Minas, terreno fértil para essa prática, ainda não conseguiu amarrar, e todos visualizam as pautas latentes, mas escreverei um texto falando mais a respeito amanha.

Todos conheceram a Casa Forceps, onde rolou a Mostra de Videoclipes.

Amanha, Rafaela Cappai começa sua oficina de Empreendedorismo Cultural e Criativo, e a finalização da oficina de realização, e vamos exibir o filme resultado.

Muito sono e trabalho, tenho que adiantar a edição do filme.

Cambio, desligo.

02/11/2011

Começo hoje a relatar aqui minhas experiências da vivência na Semana do Audiovisual de Sabará-MG

Depois de um final de semana na Serra de Ibitipoca, hospedado numa linda casinha no alto da montanha, contemplando uma vista incrível por vários dias chego em sabará dia 31 com as energias renovadas. Raissa Braga me buscou na rodoviária de BH e viemos para Sabará, onde chego com a missão de ministrar a oficina Base de Realização Audiovisual, onde irei conduzir os alunos por todas as etapas da produção de um filme, desde a concepção até a exibição.

Partimos direto para casa Fórceps, local muito agradável, sede casa onde parte dos integrantes do coletivo moram e trabalham(vivem). Conversei muito com o João e avançamos em temas que já vinhamos trocando idéia pela Internet. Me atualizei sobre a cena local do Audiovisual, sobre as possibilidades de articulações com parceiros e os planos da criação de uma rede de parceiros na cidade.

Dia primeiro de novembro foi também o primeiro dia da minha oficina, confesso que fiquei muito surpreso com os alunos, pelas minhas últimas experiências com a SEDA, eu visualizava muita adesão de universitários e pessoas já ligadas a área de alguma forma, mas aqui em sabará me deparei com 15 meninas na faixa dos 16 anos mais o Gê, artista da cidade, que eu já havia conhecido no sarau do festival Escambo. Surpresa muito boa, experiência nova de troca.

Propus uma dinamica dividindo os participantes em dois grupos para desenvolver duas histórias e depois conversamos sobre as duas, falei sobre linguagem cinematográfica e que deveriamos sempre pensar em como narrar uma história através de imagens, escrevendo um texto, no qual os planos são as palavras e os cortes a pontuação. Deixamos aberto qual texto trabalharíamos, e provoquei as meninas a tentarem ver o filme como se olhassem já para a tela, e no dia seguinte concluiríamos e já encaminharíamos a pré-produção.

A noite aconteceu a mostra de Curtas da DF5. Pude ver filmes que não tinha visto, e rever alguns que já tinham visto, mas que sempre me arrepiam, como Remixofagia, coisa linda de se ver esse filme, sempre que tenho a oportunidade, fico contemplado.

Dia 2, acordei, almocei e fui direto para a oficina. Feriadão, foram menos pessoas, mas quem foi, chegou pilhado, todos falaram, interagiram e colaboraram bem mais, o que foi essencial para o desenvolvimento do trabalho. Optamos por mesclar os dois textos, e virou uma terceira idéia. Reescrevemos tudo e já fizemos um cronograma de filmagem, com tudo decupado, elegemos os atores, pensamos os figurinos e locações e deixamos tudo certo para amanha.

O dia fechou com uma mostra trambém, vários curtas interessantes e a oportunidade de rever Estrada para Ythaca, um filme muito interessante, que sempre desperta em mim várias reflexões sobre os caminhos que tomamos na vida.

Agora vou dormir, pois, o dia amanha será de Set de Filmagem, 14:00 na casa fórceps começamos a gravar.

  1. Semana do Áudio Visual em Sabará/MG « coletivosemparedes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: