IV Congresso Fora do Eixo: Sem Paredes com #IdeiasPerigosas

19/12/2012 –  Por Jéssica Delgado

Olha a minerada invadindo São Paulo… Chegamos no Domingo por volta de 15 da tarde e já tivemos o privilegio de participar do Domingo na Casa Fora do Eixo SP. Foi lá o nosso primeiro contato com a gigantesca esfera e estrutura que o Fora do Eixo nos proporciona. Depois do cadastramento já começamos de forma descontraída, informal, e livre a trocar figurinhas com outros Coletivos, parceiros e curiosos, além disso com ótima música e um churrasquinho delicioso. No final da noite ( bemmm no final, diga-se de passagem) fomos conhecer o Albergue dos Estudantes onde estivemos hospedados, uma surpresa ótima, além do espaço sem bem grande “moramos” com mais de 30 companheiros, o que faz com que as trocas de conteúdo e debates se estendam para a casa também.

Galera em frente ao albergue

Galera na porta do albergue esperando van pro Congresso.

Logo no primeiro dia tivemos a surpresa de um delicioso pic-nic no Parque do Ibirapuera e logo depois o auditório recebeu os congressistas para a abertura oficial comandado por uma banca de femininas (da pesada). A partir de então  nos encontramos para as #ConversasInfinitas no Paço das Artes na Usp, um ambiente agradável, livre e sem grades fixas o que permite uma maior mobilidade e um compartilhamento de informação constante.

Foram rodas que debateram temas como Áudio Visual, PCult, UniFde, Moeda Complementar, além das regionais, que puderam avaliar o ano de 2011, e traçar as metas para 2012. Outro ponto bastante debatido foi a criação da Cafe BH (Casa Fora do Eixo BH), mais um ponto de grandes articulações que ainda virá.Alem disso, tivemos o Seminário da Musica que durante 3 dias discutiu o cenário atual, e formas de alavancá-lo.

Reunião sobre a criação da CAFE BH

No final dessa semana tivemos um fechamento em grande estilo , todos reunidos e colocando suas emoções e conclusões .

Final de Congresso partimos então para onde tudo começou, para a Casa Fora do Eixo SP em mais um Domingo na Casa, desta vez rostinhos conhecidos e muita conversa boa. Até ajudar no almoço eu e Nininha ajudamos.Alem de muita troca de informação rolou varias bandas muito massas e no final Projota (SP) .Nem o famoso clima de despedida tomou conta da galera, porque todos já sabem que a partir de agora estaremos ainda mais próximos.

Cortando cebola na CAFE SP

Cortando cebola pro almoço na CAFE SP.

Esse foi o meu primeiro Congresso Nacional, e sem duvida essa é a melhor forma de entender e aprender sobre essa rede. Poder trocar informações com agentes do Brasil inteiro, debater sobre a cultura com profissionais mais que capacitados, artistas, produtores, jornalistas e cineastas .E o que mais me chama a atenção é a liberdade que tivemos para perguntar e pontuar sobre a atual realidade de cada região.
Com total certeza, voltamos com #ideiasPerigosas para colocarmos em pratica ! Que venha 2012!!

_______________________________________________

Em 15/12/2011 , às 19:30 – Por Carolina Bisaggio (Nininha)

Bom, cheguei aqui depois de dois dias que o congresso já havia começado. Na verdade eu nunca imaginei estar aqui, não nesse ano. Eu já havia programado outros projetos antes de conhecer o circuito, mas alterações inesperadas de planos, me trouxeram até aqui.

Cheguei na Quarta e como sempre, fui muito bem recebida. A energia do lugar me contaminou, não conseguir ter espaço pra tristeza que adquiri em Juiz de Fora.  Foi ótimos rever as pessoas que conheci no Festival Sem Paredes e na Seda/RJ. E de certa forma, eu sabia que onde eu estivesse, eu também estaria com a cabeça no Congresso  e nos amigos que deixaria para trás.

A idéia de como o Congresso é elaborado é diferente e fascinante. São centenas de pessoas de todas as idades fervilhando idéias e montando reuniões que não estão programadas. Existe no espaço vários “lounges” espalhados, onde a galera vai se juntando e montando reuniões de acordo com o interesse de cada um. Ali nos grupos temas como: Produção audio visual, sustentabildade ambiental e economica, música, melhor estruturação dos coletivos e uma infinidade de outras pautas, vão surgindo conforme os convidados vão chegando e a moçada dialogando. Intervenções, de diversos tipos, também componhem e caracterizam o ambiente.

#ConversasInfinitas

 A verdade é que aqui em São Paulo os dias estão longos. No melhor sentido possível! A gente vem pro congresso às 10h e saí às 22h. O grupo com quem  o Coletivo Sem Paredes está “morando”, se aloja no albergue dos estudantes, são mais ou menos 30 pessoas, vários coletivos, de todos os cantos do país. Quando chegamos em casa, muita risada, conversas e um balanço geral sobre o dia, o pessoal dorme, sabe-se lá que horas!

O Congresso Sem Paredes é o melhor lugar para entender sobre essa rede de articulação cultural.  Como sempre, estou aprendendo muito! Relações pessoais e idéias que só se alastram. As expectativas pro ano de 2012 são as melhores! Os Coletivos de cada região vão trabalhar muito pra fortalecer a cultura de cada cidade!

E hoje tem distenção! Noitada pra nozes! Uhuuuuuwllll!!!

——————————————————

em 14/12/2011 – Por Gian Martins

IV COFE

Quarto dia de congresso começando, e no aguardo da plenária geral que vai rolar agora pela manhã, aproveito para escrever um pouco sobre o que eu vi acontecer esses dias. Os dois primeiros dias, foram mais tranquilos, para distêncionar, bom para encontros e reencontros, reuniões informais e troca de idéias.

O dia de ontem, Terça-Feira, começou de fato os trabalhos do congresso, de manha, houve uma plenária geral, com representantes das regionais, conversando sobre o momento em que estamos vivendo, e da importância da participação de todos na construção desse congresso. Com a Não-Grade depende de cada um a proatividade  para puxar suas próprias reuniões e papos. Muitas idéias fluem, e todas são interessantes, então temos que ir fazendo nossos recortes sobre o fluxo infinito de conversas que estão rolando.

Acompanhei uma reunião livre com o Ale Youssef – Dono do StudioSP e também com o Daniel Ganjaman, produtor que trabalha com o Criolo. Ambos falaram da importância do artistas compreender esse novo mercado da música, e de como se da a sustentabilidade desse novo nicho da música que nasceu com a queda da indústria fonográfica, e com a ascensão de redes e coletivos por todo o país, com destaque para o Fora do Eixo, que mostra ter mais capilaridade e nivelamento de norte a sul do país.

A tarde aconteceu o Seminário da Música, aproveitei ele para fazer reuniões paralelas, conversei com o Daniel do coletivo Ponte Plural, do Rio de Janeiro, já articulando pensamentos para o Grito Rock América latina, é um fato, o Rio de Janeiro é muito perto de Juiz de Fora, e é muito fácil e benéfico para todos, fortalecer essa micro-rota. Conheci também nessa ocasião Pedro Azevedo, da Audio Rebel, casa de show alternativa do rio, que recebe muitas bandas e é de fato um ponto de contaminação e de recebimento de bandas independentes de todo o país. Vejo essa conexão com o Rio, muito tática para fortalecer Jf.

Outra conversa que travei foi com a Arpub, Associação das Rádios Públicas do Brasil, que conversamos amplamente sobre a situação das rádios em Juiz de Fora, e estratégias de ação para o fortalecimento da cena local, e para o desenvolvimento do mercado da música autoral da cidade.

Xico Teixeira e @semparedesjf falam sobre radio e cinema #congressofde

O dia acabou no Studio SP que rolou vários shows, mas só acompanhei, pelo meu atraso, o show do Macaco Bong, que foi, como sempre, carregado de coração e de energia. Grande noite.

Aquecendo as guitarras @MacacoBong #FestivalFde

Bom dia a todos.

Em 12/12/2011 – Por Leonardo Lina

Posso dizer que os dois primeiros dias da experiência aqui em São Paulo, no IV Congresso Fora do Eixo, mostraram um pouco daquilo que será a realidade do resto da semana: muita informação simultânea, muitas pessoas chegando e perpassando tudo e todos, e principalmente, muito o que ver e aprender.

Apesar de apenas estar estreiando não só na vida acadêmcia, mas também no momento Fora do Eixo, me permito afirmar que em poucos momentos eu tive a impressão boa e positiva de estar cercado de pessoas que não só entendem o processo do qual fazem parte, como têm a propriedade de influenciar todo o movimento que compõem.

É importante afirmar que ainda muito pouco tempo passou, mas que mesmo nesse curto espaço de tempo é possível perceber bastante coisa.

Não alongando o relato do dia; posso dizer que as principais palavras que ficam e servem para marcar o dia são: #comunicafde e #identidadesustentável. Perceber, mesmo que superficialmente, a maneira como a Comunicação e a relação de Cards interagem tem sido incrível para captar um pouco daquilo que compõe a nossa realidade produtiva.

Fica a expectativa dos próximos dias e também as imagens, que ilustram melhor que as palavras e podem ser conferidas no facebook do Coletivo Sem Paredes.

– – – – – –

Aqui a experiência do IV Congresso Fora do Eixo dos colaborares do Coletivo Sem Paredes poderá ser acompanhada. Durantes os dias 11 a 18 de dezembro de 2011, diariamente a página será atualizada com novas informações dos colaboradores e suas impressões da vivência do encontro da cultura.

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Twitter Sem Paredes

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: