Arquivo de novembro \30\UTC 2011

Amanhã tem Cortina de Fumaça, no Cineclube Bordel Sem Paredes.

Amanhã (30/11) as 20h, o Cineclube Bordel Sem Paredes exibe o documentário Cortina de Fumaça. O polêmico filme, coloca em questão a política de drogas vigente no mundo, dando atenção às suas conseqüências político-sociais em países como o Brasil e em particular na cidade do Rio de Janeiro.
Através de entrevistas nacionais e internacionais com médicos, pesquisadores, advogados, líderes, policiais e representantes de movimentos civis, o jornalista Rodrigo Mac Niven traz a nova visão do início do século 21 que rompe o silêncio e questiona o discurso proibicionista.

A exibição conta com a presença já confirmada do diretor do filme, Rodrigo Mac Niven, Dr Mario Sérgio Ribeiro, psiquiatra, professor da UFJF e líder do grupo de estudos e pesquisas sobre álcool e drogas, Dr André Moisés Gaio, professor da UFJF e pesquisador que estuda sobre violência urbana e também o advogado Alexandre Freitas. Pós filme, será realizado um debate com todos os convidados.

O cineclube se locaiza no anfiteatro João Carriço/Prédio da Funalfa e a entrada é franca.

Deixe um comentário

Já leu o Mural Sem Paredes?

Hoje foi lançado o Mural Sem Paredes, primeira newsletter do Coletivo de Juiz de Fora. Com a proposta de atualizar a todos os interessados por cultura, o Coletivo Sem Paredes incorpora o #MuralSemParedes em suas ações, afim de expor quinzenalmente eventos culturais de Juiz de Fora, disponibilizar conteúdo e promover a troca entre a cultura e a cidade.

Leia o Mural Sem Paredes

Cadastre seu e-mail e receba quinzenalmente nossa news!

1 comentário

Efervescência da cultura Juiz Forana.

Entre conversas, polêmicas e opiniões diversas sobre a demolição do Cine Excelsior (que se realmente concretizada, será uma enorme perda para a cidade) não podemos nos esquecer dos outros movimentos que estão efervescendo, alimentando e fazendo com que nossa cidade apesar das contradições, cresça.

Dando continuidade ao debate da semana passada (Artes Cênicas), o I Ciclo de Debates Culturais da Tribuna da Minas segue sua programação hoje, as 20h na videoteca do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM). Hoje o tema é a Música! Estarão presentes na mesa: Fred Fonseca – Diretor Regional da Cooperativa da Música de Minas; Daniel Quaranta – Professor do curso de música da UFJF; Valéria Assad – Professora do Conservatório Estadual de Música Haidée França Americano e Carlos Fernando – Compositor/Compositor do 1° Concurso de Marchinas de Juiz de Fora.

Ainda hoje, nossa cidade recebe a décima edição do Festival de Cinema Primeiro Plano: Olhar de novo. As exibições vão do dia 28 de novembro a 03 de dezembro. Além das mostras competitivas regionais, nacionais e oficinas, o festival realiza uma votação para escolher o melhor dos melhores, ao longo desses 10 anos. Hoje as 20h acontece a abertura oficial do evento, no espaço Alameda, e a entrada é franca!

E também na abertura do Primeiro Plano,  convocamos a todos para discutir a situação do Cine Excelsior.

Saiba mais: Festival de Cinema Primeiro Plano 2011

Deixe um comentário

O não belo desmonte do Cine Excelsior de Juiz de Fora.

Por Alessandro Driê

O Cine Excelsior de Juiz de Fora, para quem não sabe, é o maior cinema do interior de Minas Gerais. Ou está deixando de ser. Nesta última semana de novembro 1.250 poltronas foram retiradas e algumas informações extraoficiais dão conta que se transformará em um estacionamento.

Foto: Tribuna de Minas

Eu soube deste fato pela rede social, e a história deste cinema bem como de toda a burocracia de uma tentativa infrutífera de tombamento pode ser acessada aqui.

É triste viver em uma época em que se matam os cinemas, especialmente os de rua, como o Belas Artes em São Paulo – onde tive oportunidade de assistir a um lançamento de filme com direito a uma festa – ou como de tantas outras cidades. Deixam de ser templos da arte e se tornam templos religiosos ou comerciais…

Aqui mesmo em Juiz de Fora, ao longo dos últimos anos, perdemos o Cine Veneza, com mínima repercussão, em uma era pré-Orkut e de domínio da mídia tradicional. Depois foi o Cine São Luiz, que em seu final de vida exibia filmes pornôs. A mobilização foi pequena, proporcional ao seu público, embora com algum apoio das pessoas ligadas à Cultura. A mesma repercussão ou até mesmo menor, quando dois shoppings fecharam suas salas de cinema.

Por outro lado, houve mais barulho e apoio, do Poder Público inclusive, para manter aberto nosso único cinema de rua que ainda está ativo, o Cine Palace.

Nesses tempos em que a Internet se fortaleceu, tempos de Ocupa Rio, Acampa Sampa e afins, faz-se necessário chamar todas as pessoas que souberem da remoção do Cine Excelsior possam passar da indignação à ação. Já foram perdidas muitas batalhas acerca do Patrimônio material na cidade, mas já houve vitórias, como o caso da Mata do Krambeck, ou mesmo do Cine Palace.

E quanto ao Cine Excelsior? Uma parte d@s amig@s que tenho no Facebook nunca entraram lá, devido aos quase 20 anos paralisados. Jamais viram o seu belo interior em Art Deco. Muitos até brincavam com letreiro existente a respeito de um filme “Fechado para Reforma”…

Depois de postar os links do início deste texto no meu perfil, brinquei de marcar alguns contatos nas poltronas vazias de uma fotografia recente do Excelsior. O link não foi apenas virtual – se revelou afetivo. Dali, e em outros perfis, pude ver o fantástico poder de compartilhamento e mobilização das redes. Muitas pessoas viveram aquele cinema desde a sua inauguração. Alguns até assistiram a um filme, então recente, de Fellini!


Foto: Blog Maria do Resguardo

Pelo o que eu me lembro, provavelmente foi o primeiro cinema que entrei na vida para ver, creio, “O Fusca Enamorado”. Lembro também que foi o único cinema em que fui barrado, por não ter idade para assistir a um filme do Schwarzenegger… Cada frequentador do Excelsior tem uma lembrança, foi o primeiro cinema de muita gente.

São Paulo reabriu o Cine Marabá. Juiz de Fora poderia seguir o exemplo. O Cine Excelsior, pelas suas dimensões, também se adequaria perfeitamente ao teatro e a espaço de eventos como shows, palestras e formaturas. Infelizmente, nem a iniciativa privada e nem as inúmeras universidades locais se interessaram.

E o Poder Público está mais preocupado em trocar os canteiros da principal avenida da cidade acreditando que vai melhorar o trânsito, do que ajudar a manter vivo um espaço em que se contam histórias, informam, trocam ideias e permite sonhar.

9 Comentários

Amanhã é dia de Rap.

Acontece amanhã, na Praça do Altos dos Paços, o VI Encontro de MC’s de Juiz de Fora. O encontro, que já ocupou praças como: Parque Halfed, Manoel Honório, Vitorino Braga e São Matheus segue no melhor estilo Free Style, dessa vez, movimentando a Zona Sul da cidade.

Os encontros são sempre marcados por um clima amistoso de muita descontração e com muita criatividade. Como a mistura sempre foi o forte da rapaziada, rima, poesia e dança são parceiras do evento, espalhando as manifestações artísticas por toda cidade.

Esse será o último encontro de MC’s do ano em Juiz de Fora. Pois, segundo Oldi, organizador do encontro, o encontro de dezembro será em São Paulo, no Congresso Fora do Eixo. E você pode participar, faça sua inscrição aqui.

Saiba Mais sobre o encontro de MC’s: http://encontrodemcsjf.blogspot.com/

Deixe um comentário

Como foi o Cineclube Bordel Sem Paredes e o Café Filosófico.

O dia foi especial ontem no Cineclube Bordel Sem Paredes. A sessão mais cheia do ano contou com a participação de 30 pessoas que sairam do anfitrato João Carriço maravilhadas com o filme sobre a coreógrafa Pina. O longa é tocante, imprevisível, e entre cenas e danças impecáveis, depoimentos de bailarinos que trabalharam diretamente com a dançarina. A exibição deixou muita gente emocionada e com vontade de rever o filme.

Antes de iniciar a exibição do filme.

Paralelo ao CineClube, ocorria no Espaço Mezcla o Café Filosófico onde foi realizada uma conversa com Coletivo Sem Paredes.  Com    a proposta de discutir o que está ocorrendo na nossa cidade, o café filosofico convidou os membros do Coletivo para discutir as redes pelo mundo e a influência dela na vida de cada individuo que compoe a sociedade.
Foi apresentado o Circuito Fora do Eixo e estudados os conceitos de colaborativismo, software livre, rede, e as influencia prática desses conceitos aplicados a vida dos membros do coletivo.
E é claro que o papo rendeu muito, com a participação de todos os presentes.
O Coletivo Sem Paredes agradece o convite e o espaço. Para nós é muito gratificante poder elucidar nossas idéias e explorar novos olhares!


Coletivo Sem Paredes no Café Filosófico.

Deixe um comentário

Sem Paredes no Café Filosofico

Nos becos da cidade florescem o pensamento que penetra e influencia a sociedade ao seu redor. O Café Filosófico é uma noite que ocorre no Espaço Mezcla com o intuito achar, pensar e investigar os grupos da cidade que estão debatendo temas e trazendo novas pautas e questionamentos.

O Coletivo Sem Paredes foi convidado para dialogar e apresentar as possibilidades de um mundo conectado em rede, e as modificações e implicações desse mundo na vida dos indivíduos integrantes da sociedade.A proposta é estabelecer uma conversa sobre o Coletivo e o Circuito Fora do Eixo. Explorar qual o campo de ação dos coletivos na cidade e as possibilidades de uma Rede de gestores e agentes culturais integrada.

Espaço Mezcla

O Café acontece todas as últimas Quintas Feiras do mes no espaço cultural Mezcla. Entre debates e conversas abertas, o encontro trará também uma exposição de fotos, mostrando diversos pontos de vista de Juiz de Fora e uma dança circular, onde os convidados que se sentirem a vontade, poderão participar.Convidamos a todos para comparecer, será uma oportunidade única de conversarmos sobre a proposta do Coletivo para a cidade, e discutir sobre o mundo conectado em rede.

Café Mezcla, dia 24 de novembro de 2011, 19:00.

Todo o Papo será transmitido ao vivo acompanhem pelo Twitter: @semparedesjf

Deixe um comentário