Arquivo de setembro \23\UTC 2011

Compacto.REC – 4 Instrumental

4 Instrumental – 4.1 o álbum

O 4 instrumental surge em 2008 em Sabará – Minas Gerais, e vem desde então despontando no cenário da música mineira. A banda já circulou por todo estado de Minas Gerais e participou de importantes festivais da música inpendente brasileira como Calango, Jambolada, Transborda, Gramophone, entre outros, além de realizar show em La Plata e Buenos Aires e agora o grupo lança seu primeiro álbum, o “4.1”.

Produzido em Buenos Aires, o álbum traz influências do Clube da Esquina, do rock progressivo mineiro dos anos 70 e componentes da musica contemporânea misturando com mais uma criatividade melodico-hamônica singular do grupo. O resultado é 4.1, uma expressão envolvente que leva o ouvinte por sensações sonoras únicas e que você pode baixar e ouvir no Compacto.Rec!

O Compacto.Rec

O compacto.rec é um selo virtual do Fora do Eixo, voltado para a difusão e divulgação de álbuns da música latino-americana pela internet através do download gratuito, realizando uma divulgação integrada do lançamento por todo o Brasil. Desde 2009, o projeto já lançou mais de 25 álbuns, se consolidando como um projeto referencial na música independente nacional, principalmente por seu trabalho colaborativo e sua comunicação capilarizada por blogs, sites, redes sociais parceiras da iniciativa.

Desde 2010 o Compacto.Rec vem estreitando os laços com a América Latina lançando álbuns nacionais e internacionais. A parceria começou com o lançamento do álbum “YYY”
do Falsos Conejos, depois veio o lançamento da Coletânea Grito Rock Buenos Aires, e o recentemento lançamento do Caranavales do duo Finlândia. E agora, o 4.1 é mais  um fruto brasileiro da América Latina mostrando a forte integração com o “Hermanos”, já que o álbum foi gravado em Buenos Aires em parceria com o Fora do Eixo Argentina

Baixe agora mesmo: http://compacto.rec.foradoeixo.org.br

,

Deixe um comentário

Diário de Bordo 2!

Na segunda edição do Diário de Bordo, Luis Fernando Príamo partiu para Catalão (Goiás) com a oficina de fanzines dele para a primeira edição do Festival Siriema – Festival de Artes Integradas de Catalão.

Clique aqui e confira!

,

Deixe um comentário

Abertas as inscrições para o 10º Santa Maria Vídeo e Cinema

O Santa Maria Vídeo e Cinema  realiza a décima edição do festival e comemora de forma especial essa data: demonstrando a importância do festival para a fruição do cinema pelo público, valorizando os meios de produção e fomentando a difusão e formação. Cada vez mais queremos prestigiar o valor fundamental das discussões e reflexões sobre o cinema e o audiovisual brasileiro de curta, média e longa-metragem.  Para isso fortalecemos a interlocução com cineclubistas, produtores, distribuidores e exibidores independentes. Também seguimos a homenagear aos que fazem a história do cinema e  trabalhamos para o desenvolvimento do audiovisual na região, do país e do MERCOSUL.

Debater, oficinar, palestrar, dividir conhecimento, exibir em praça pública filmes valorizando o cinema brasileiro. Fazer parcerias para melhorar e expandir. Assim democratizando o acesso a tecnologia, a programação e as mostras competitivas. Seguimos… e assim chegamos aos 10 anos do SMVC.

São dez anos de democratização do acesso do público ao audiovisual brasileiro.

O Santa Maria Vídeo e Cinema acontecerá de 05 a 10 de dezembro em Santa Maria – RS/Brasil.

Ao completar 10 anos o SMVC quer sua participação e para começar abre suas inscrições de 08 de setembro a 08 de outubro. São aceitas obras realizadas em qualquer bitola, com até 25 minutos (incluindo créditos), finalizadas a partir de janeiro de 2010. O regulamento e as inscrições estão disponíveis no sitewww.smvc.org.br.

,

Deixe um comentário

Abertas as inscrições para o IV Congresso Fora do Eixo

Começam hoje as inscrições para a Etapa Nacional do IV Congresso Fora do Eixo (COFE), o principal encontro presencial e deliberativo da maior rede de cultura livre da América Latina. Desde 2008, a rede se encontra anualmente para debater o desenvolvimento de seus processos, colher resultados e planejar os próximos passos.

Esse ano, o Congresso promete discussões, mesas e vários debates dentro dos grupos de trabalhos sobre as frentes que fomentam a cena cultural do país. O Congresso acontece de 14 a 20 de novembro, em São Carlos (SP), junto à 5ª edição do Festival Contato. A expectativa é que reúna mais de 1000 pessoas, entre membros de coletivos, pontos de linguagens, parceiros, imprensa e observadores.

A ficha de inscrição você encontra no Diário Oficial do Fora do Eixo, ou na Wiki do Fora do Eixo.

Editais de Vivência

Esse ano o COFE contará com uma novidade. Cada frente se articulará para montar um plano de trabalho e o planejamento da equipe que será necessária para a estruturação de cada núcleo.

A novidade é que essas equipes serão formadas por Editais de Vivências, que abrem suas vagas hoje também.

As Vivências são programas de “estágio” baseado na troca de experiências de trabalho e convívio em ambientes cognitivos de autoformação, onde a pessoa integra a equipe de um evento ou coletivo por tempo determinado com um plano de trabalho definido conforme as necessidades e interesses conjunturais da rede.

Leia o Edital

Inscreva-se

,

Deixe um comentário

Revista NOIZE #46

Você já conferiu a última edição da NOIZE? Dá um confere lá!

A edição #46 da NOIZE acontece agora. Teorias conspiratórias, mês do cachorro louco, o futuro da música. Now.

O resultado? Nunca a máxima “o futuro é agora” pareceu tão certa. A indústria musical brasileira elegeu agosto como o mês do corre e joga nas prateleiras três pérolas completamente distintas.

Vanguart se embebeda na literatura para esquecer suas mulheres e lançar Boa Parte de Mim Vai Embora, seu segundo disco. Pública supera a perda dos irmãos e a saudade de casa em Canções de Guerra, o terceiro álbum da banda. Boss in Drama mergulha no ouro pra se aventurar em Pure Gold, sua primeira bolacha.

E ainda tem conversa com Tom Verlaine, Metronomy e uma cobertura esperta do Lollapalooza. Sem esquecer daquela análise caprichada de Beirut, Pearl Jam, Arnaldo Antunes e outros tantos acontecimentos sonoros. Ta esperando o que? Te apressa, vem pro corre e seja o primeiro a saber de tudo. Antes que seja passado.

Curtiu? Então confira clicando na imagem acima!

Deixe um comentário

PAÍS RICO É PAÍS COM CULTURA!

Estamos vivendo um momento de transição e enfraquecimento do ministério da cultura que na gestão da Dilma demostrou um retrocesso grande em relação a gestão de 8 anos do governo Lula. Nesse tempo, foi estabelecido um grande espaço para a sociedade civil construir as politicas públicas junto ao estado, dando espaço para as redes crescerem e criando o programa Cultura Viva que implantou inúmeros pontos de cultura com objetivo de dar o poder para o povo de construir a cultura para o povo.
Esse é a hora de nós, todos, cidadãos, nos unirmos para garantir um país rico, um país que tenha uma politica cultural avançada o suficiente para contemplar a maravilhosa diversidade cultural que vemos, sentimos e vivemos ao andar pelos becos das cidades brasileiras.
Na ultima semana de agosto de 2011, houve um encontro de diversas redes com o Ministério da Cultura para reivindicar a manutenção da muda, tirada da semente por nosso caríssimo Gilberto Gil e Regada por Juca Ferreira. Muda que não é de uma árvore, mas sim, de um gramado, que se espalha por todos os lados, horizontalmente.
Foi proposto então a entrega de uma carta para as autoridades explicitando este momento e de fato colocando estratégias para uma nova postura na relação Governo-Sociedade.

Vamos mobilizar, Vamos divulgar, Vamos falar disso para as pessoas nas ruas, nos pontos de ônibus, vamos espalhar. Todo o poder emana do povo e o povo2.0 tem capacidade de administrar esse poder infinto de forma orgânica, propositiva e criativa.

Leiam o documento e assinem no site: http://www.mobilizacultura.org/2011/09/04/pais-rico-e-pais-com-cultura/

PAÍS RICO É PAÍS COM CULTURA!
Carta Aberta da Sociedade Civil sobre a Crise do MinC

PAÍS RICO É PAÍS COM CULTURA! Brasília , 3 de setembro de 2011

O povo brasileiro tomou nas urnas a decisão de construir um país rico, soberano e democrático.

A cultura do Brasil, seus produtores e agentes em sua mais rica diversidade, se engajou desde o começo do governo Lula no projeto de universalização do conhecimento, do acesso à produção de bens culturais e na distribuição do poder simbólico, econômico e político. Em outras palavras: construir agora o Brasil do futuro, apostando no desenvolvimento e na inclusão, contando com a “inteligência popular brasileira” e a imaginação dos povos dos Brasis.

Por isso, durante os dois governos Lula, a sociedade civil organizada, os coletivos e redes, produtores e agentes estabeleceram uma inédita e saudável relação com o governo no sentido de construir um projeto de cultura para o Estado Brasileiro. A herança maior das duas últimas gestões à frente do MinC é a constituição de uma rede imensa e capilar que vai dos mestres da cultura popular aos hackers.

Durante o governo Lula estas redes não foram apenas atendidas pelas políticas públicas, senão que tornaram-se os sujeitos do processo, fazedores de cultura e de país. Tal legado é patrimônio de todos aqueles que lutaram pelo projeto de nação encabeçado por Dilma Rouseff.

A Crise Estrutural do MinC

Passados 8 meses de governo, segue a crise do MinC, cujo último episódio foi a saída da Secretária de Cidadania e Diversidade Cultural, e as ameaças de novas demissões e desentendimentos.

A sociedade civil organizada, produtores e agentes culturais, parlamentares, ativistas de dentro e de fora do campo cultural, entendem que esta é a hora de uma correção de rumo no Ministério da Cultura.

É necessário uma repactuação com os movimentos culturais que construíram e deram apoio à política pública de cultura gestada no governo Lula e sua continuidade, avanço e ampliação no governo que elegemos. Não podemos mais aceitar que as conquistas e avanços da sociedade brasileira no campo cultural, chanceladas pela sociedade civil e pelo Estado e tornadas públicas no Plano Nacional de Cultura continuem a ser desrespeitadas e ignoradas.

País rico é país com democracia participativa e por isso não podemos aceitar o rompimento do diálogo construído com os movimentos e agentes em gestão compartilhada nos 8 anos do governo Lula. Estes mesmos avanços nos últimos 8 meses do governo Dilma Roussef sofreram retrocessos ou estão paralisados, diante da crise de legitimidade e confiança na qual se vê submerso o MinC.

Os movimentos culturais organizados estão buscando há 8 meses a retomada da experiência de co-gestão e participação da sociedade civil nos rumos da Cultura.

Todos os esforços estão sendo feitos para essa repactuação, por isso reivindicamos que as novas mudanças sejam debatidas e consultadas de forma franca e ampla junto aos movimentos culturais que estiveram durante esses últimos meses e nestes 3 dias de agosto e inicio de setembro reunidos em Brasília, em diálogo direto com todas as Secretarias do Ministério da Cultura (com exceção da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural, demissionária).

Destacamos os pontos fundamentais defendidos por diferentes movimentos, que vem sendo debatidos desde a primeira crise do MinC:

– A implementação do Plano Nacional de Cultura aprovado pelo governo Lula;

– A aprovação da PEC 150 e do Procultura como enviados para o Congresso;

– A publicização do texto final da Reforma da Lei dos Direitos Autorais e seu envio ao Congresso, mantendo-se os avanços propostos pela sociedade em consulta pública; entre eles a fiscalização de instituições como o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), e a criação de Instituto ou Agência Reguladora na área de direitos autorais, estímulo a produção de conteúdos culturais, educacionais abertos, descriminzalização da cópia e o estímulo ao uso de licenças flexíveis, como o Creative Commons;

– A defesa do Programa Cultura Viva, a manutenção dos 3 mil Pontos e Pontões de Cultura e suas ações. O pagamento de todos os Editais, Renovações dos convênios de Pontos e Pontões, a manutenção e expansão da Rede dos Pontos de Cultura, a contemplação de novas redes e a definição de um novo marco legal.

– Retomada do protagonismo nacional e internacional em Cultura Digital, conquistado pelo MinC, no governo Lula.

– Retomada dos programas de Diversidade Cultural, abandonados nesta gestão

– Aprovação da Lei Cultura Viva, Aprovação da Lei dos Mestres e Griôs

– A Revisão da proposta orçamentária para o Minc em avaliação no Congresso Nacional, que canaliza grande parte das verbas da cultura para obras e infra-estrutura, inviabilizando as demais ações do Programa Cultura Viva (rede dos Pontos de Cultura, Ação Cultura Digital, etc.) de forma desproporcional e assimétrica.

– Defendemos também o maior diálogo do Ministério da Cultura, com nossa participação, em ações transversais com os demais ministérios, particularmente com o MEC, Ministério das Comunicações, Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério do Trabalho e em ações como a do Plano Nacional de Banda Larga.

O MinC somos nós e nosso compromisso é com o viável e com o possível.

Por tudo isso, solicitamos à Presidenta Dilma Roussef, aos parlamentares, ativistas, sociedade civil e movimentos culturais e sociais que juntos possamos estancar as crises sucessivas no Ministério da Cultura, para repactuarmos o compromisso assumido entre o Estado brasileiro, os movimentos culturais e a sociedade civil de um projeto de continuidade, inovação e avanços na cultura brasileira que esteja à altura do papel que o Brasil assumiu como protagonista e referência na cena global em termos de políticas culturais inovadoras.

É preciso que nos unamos ao redor de um projeto no qual a cultura seja convocada de fato a cumprir sua vocação de inventora de futuro, desenvolvimento, soberania, sustentabilidade, democracia e inclusão social. É preciso confiança na Cultura Brasileira!

Obrigado.
Gracias.
Thank you.
Merci.

Deixe um comentário

Compacto.Rec Lança Duo Finlândia

Carnavales - Duo Finlândia

Carnavales

O mais recente lançamento do Compacto.Rec, Carnavales, traz a contemporaneidade latino-americana através de suas melodias que misturam elementos  da musica popular com a música eletrônica, praticando uma bricolagem de estilos. O baião, o tango, a cúmbia, o maracatu, o samba e o beat eletronico se entrelaçam por meio dos instrumentos e das ambiencias que o duo Finlândia cria em suas programações.

O Finlândia

Formado por Mauricio Candussi (Argentina) e Raphael Evangelista (Brasil). O grupo busca combinar elementos da música latino-americana, focando nos países de origem, com sonoridades contemporâneas. O duo mescla ao vivo programações com instrumentos acústicos como piano e acordeão (Mauricio Candussi) e o violoncelo (Raphael Evangelista), criando sets específicos para cada momento.

O Compacto.Rec

O compacto.rec é um selo virtual do Fora do Eixo, voltada para a difusão e divulgação de álbuns da música latino-americana pela internet através download gratuito. Realizando uma divulgação integrada do lançamento por todo o Brasil. Desde 2009, o projeto já lançou mais de 25 álbuns, se consolidando como um projeto referencial na música independente nacional, principalmente por seu trabalho colaborativo e sua comunicação capilarizada por blogs, sites, redes sociais parceiras da iniciativa.

A parceria com na América Latina começou em outubro de 2010 com o lançamento do álbum YYY da banda Falsos Conejos e em 2011 com o projeto da coletânea Grito Rock Buenos Aires. Com o recente fortalecimento da conexão entre os Brasil e os demais países da América Latina, a parceria tende a continuar e o espaço do Compacto.Rec ser cada vez mais palco de lançamentos internacionais.

Baixe agora mesmo: Download

Deixe um comentário