Entrevista com os Manolos!

Que a Manolos Funk vai tocar essa quinta no Muzik todo mundo já sabe. Agora, vamos conhecer melhor o grupo. Como começou? Quais são as influências e os planos pro futuro? Tudo isso e muito mais vocês conferem na entrevista abaixo:

Como começou a banda?

Os Manolos Funk surgiram em 2004 através de amigos que compartilhavam gostos musicais parecidos. A idéia era fazer um som honesto mas que também fosse diferente de tudo que estava sendo tocado. Com o tempo a personalidade musical foi sendo criada até chegar nesta identidade musical que nós definimos como Ultrafunk.

De onde veio a ideia do nome “Manolos Funk”?

O nome surgiu em homenagem as tiras da “Mafalda”. O Manolos é homenagem ao Armazém “Dom Manolo”, local em que o personagem Manolito desfilava sua maneira capitalista de enxergar as coisas. Como existe este papo que banda é “produto” decidimos brincar com isto também. Já o funk é para reafirmar nossa base sonora que passa por este estilo musical.

Como vocês compõem? De onde vocês tiram a inspiração pras letras?

Normalmente o processo de criação dos Manolos é bem peculiar porque ele começa invariavelmente pelo baixo e bateria. Depois surgem os arranjos da guitarra e por último a melodia com letra. Este processo é interessante porque a música torna-se muito fotográfica. A letra surge através das sensações que o ritmo trás. Gostamos de falar das coisas de maneira universal sempre saindo do senso comum. Em alguns momentos somos sarcásticos, introspectivos, engraçados e metafóricos. É importante dizer que todo processo é dinâmico e de repente podemos até mudar, mas por enquanto é assim que funciona e estamos bem felizes assim.

Na página de vocês no TNB, vocês falam que fazem “Ultrafunk”. Qual tipo de música inspirou vocês para criar esse estilo?

Na verdade o Ultrafunk é um conceito musical que surgiu pela nossa dificuldade de definir nosso próprio som. Nossa base sonora é a funk music só que flertamos com vários estilos musicais. Tem referencias grunge, pop, rock inglês, música latina e vários outros elementos. O Ultrafunk é uma maneira de definir por nós mesmos uma proposta de som diferente que é pulsante e dinâmica.

Vocês fizeram o EP “Manolos Funk” em 2009, no qual usam papelão na arte. Como vocês vêem a sustentabilidade na música?

Nós somos uma banda que pensa na sustentabilidade de maneira mais profunda. Isso passa pela autogestão de carreira, pela reciclagem musical e a consciência do nosso papel no meio ambiente. A questão ecológica do Ep reflete a maneira como conduzimos nossas atitudes no dia a dia. Por exemplo, Marcelo e Fred são vegetarianos por consciência ecológica. A mãe do Tchululu faz sacolas bolsas de sacolas plásticas que iriam para o lixo. Ou seja, fomos criados dentro desta cultura então foi natural pensar em algo desta maneira. Claro que também foi uma solução barata e simples. Mas ser autosustentável é criar possibilidades de maneira criativa e com bom custo benefício. Acreditamos que o objetivo foi cumprido!

Como surgiu a ideia das “cabeçonas”? Elas atrapalham na hora de tocar? 

A idéia surgiu em parceria com nosso amigo e design Marcelo Dante. A proposta era fazer algo simples mas com um impacto visual que tivesse a ver com a proposta do Ep “Manolos Funk”, feito de papelão. No começo as cabeças seriam usadas somente para promoção da banda, só que elas ficaram tão legais que cogitamos a idéia de usá-las no palco também. O Marcelo foi responsável para readaptar o projeto porque sem ver era complicado tocar.

Nossa estréia com os cabeções acabou sendo assim, no Grito Rock de Juíz de fora. Confesso que não é das tarefas mais fáceis só que é tão divertido ver como as pessoas se surpreendem que vale cada momento! O resultado foi ótimo e mal vemos a hora de ter esta experiência novamente.

O que vocês andam ouvindo atualmente?

A banda sempre procura escutar muitas coisas porque querendo ou não nossa sonoridade permite aplicar qualquer elemento musical. Eu neste momento tenho escutado muito Otto, Tom Zé, Lenine e alguns artistas internacionais como Mayer Hawthorne, Jeff Buckley eos projetos do Mike Patton como Lovage e Mondo Cane. Marcelo e Fred escutam bastante Primus, Red Hot, Jamiroquai, Ed Motta, Faith No More, Frank Zappa, Nirvana, Alice in Chains e Soundgarden entre outros. O Ricardo gosta muito das bandas inglesas como Cold Play e Radio Head e é pesquisador de música latina em geral.

Quais são os projetos da banda para o futuro?

Temos o projeto de lançar um show novo ainda neste ano e fazer uma turnê em por outros estados brasileiros. O importante é divulgar a banda para novos lugares e reafirmar os locais que nos receberam bem. O lema é tocar, tocar, tocar sempre!

Para ouvir as músicas do Manolos Funk, clique aqui.

Então já sabe né? Quinta-feira no Muzik é Manolos! Ainda vai rolar uma Jam com vários músicos do cenário local. Compareçam!

, , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Twitter Sem Paredes

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: