Arquivo de fevereiro \20\UTC 2011

Gestão de Carreiras, discutido por Macaco Bong e Você

Além de fazer um grande  show na cidade, a banda Macaco Bong de quebra compartilha com você  experiências de turnês, conceitos do mercado independente, relações com casas de show e muitos outros temas que envolvem a carreira do músico moderno. VENHA PARA O BATE-PAPO SOBRE GESTÃO DE CARREIRAS com a Banda Macaco Bong!!!

No dia 26 de fevereiro de 2011, na PLANET MUSIC JF, de 15 às 17hs. Seja bem vindo e aproveite esse encontro!

, , , , , , , , , , ,

1 comentário

Noite Fora do Eixo com Macaco Bong em JF.

A Noite Fora do Eixo é uma oportunidade de circulação para artistas das mais variadas inspirações e regiões.  E a certeza de grandes shows para o público, sempre.A noite da música autoral, dos encontros estéticos, a noite da arte local !

A Noite FDE é um projeto do Circuito Fora do Eixo, executado pelos coletivos filiados e tem como diretriz a abordagem das territorialidades estéticas, mas também enseja fomentar o intercâmbio e o trânsito ativo de artistas de várias partes do Brasil.

Numa dinâmica de trabalho entre artistas locais e artistas convidados, o projeto oferece uma programação que mistura shows e outras intervenções artísticas preocupadas com a produção e divulgação da ARTE AUTORAL, ou A CRIAÇÃO AUTÊNTICA E INÉDITA.

Fundamentalmente, a Noite FDE tem a tarefa de divulgar bandas de todo país e colaborar para a valorização da arte independente em vários nichos onde a Rede possui pontos integrados.  O objetivo principal é superar a idéia do “cover” e as estrelas aqui são os artistas que criam sua própria música e estão engajados no desafio de contaminar os espectadores através de novos moldes de produção, recepção e consumo do produto cultural.

Nesta edição especial de lançamento do Projeto no Café Muzik, o Coletivo Sem Paredes recebe a banda Macaco Bong e a discotecagem de Marcelo Castro. As Noites Fora do Eixo terão edições mensais e sempre na mesma noite a participação de um artista local e um convidado de outra parte do Brasil.

Dia 26/02/011, sábado: Noite Fora do Eixo especial no Café Muzik com a Banda Macaco Bong!

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Produção audiovisual colaborativa

Confira o teaser do Show do Macaco Bong no dia 26 de Fevereiro no Muzik. O vídeo é um exemplo de produção colaborativa. Em especial agradecemos à André Xurume, Pedro Lacerda, Ivan Cunha e Amanda Coutinho. E não podemos deixar de parabenizar o núcleo de audiovisual do Coletivo Sem Paredes. Excelente trabalho moçada!!

, , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Grito Rock Juiz de Fora apresenta 16 bandas

O Grito Rock 2011 edição Juiz de Fora ganha mais um dia na sua programação.

Além da sexta e do sábado (dias 25 e 26/03), o Festival acontecerá também no domingo dia 27. Com isso ganhamos a oportunidade de assistir mais 10 shows de bandas de Juiz de Fora e de todo Brasil, que representam o que há de mais novo no cenário musical independente.

Os artistas convidados são: Maurício Baia, Móveis Coloniais de Acaju, Samba de Luiz, Manolos Funk, Martiataka e Silva Soul. As outras 10 bandas que se apresentarão no domingo serão selecionadas pelo portal Toque no Brasil www.toquenobrasil.com.br. Até o momento são 246 inscrições para a edição Juiz de Fora, de bandas de estilos musicais dos mais diversos e de diferentes partes do país. E o prazo vai até 25 de fevereiro, mais bandas podem se inscrever.

Em shows originais, estas 16 bandas inauguram uma nova fase na história musical da cidade. Pela primeira vez teremos um festival de música contemporânea, com músicos profissionais e totalmente dedicado ao trabalho autoral.

A cidade merece tudo isso e muito mais! Em março a gente te encontra no Cultural!

, , , , , , ,

Deixe um comentário

Cidadão Comum é o lançamento de Fevereiro pelo Compacto.REC

 

O compacto.Rec segue suas atividades em 2011 lançando em Fevereiro o EP da banda Cidadão Comum. A energia do rock, a poesia do rap e o ritmo do funk mesclado com as batidas do Manguebeat e outros sons brasileiros formam a rica identidade da banda que acaba de gravar o primeiro trabalho intitulado “Enquanto Isso na Cidade-Dormitório”.

O Compacto.Rec

O Compacto.Rec é um projeto de lançamento mensal de álbuns virtuais em rede, com o objetivo de estimular a circulação e distribuição de bandas da cena independente latino americana. O trabalho é uma realização do circuito Fora do Eixo, uma rede de trabalhos colaborativos e os agentes que integram a equipe são oriundos dos mais distintos lugares do país que, através da internet trabalham em conjunto executando toda a pré-produção do Compacto.Rec: uma compilação com músicas, letras, release, fotos, vídeo, banners e avatares, que são divulgados em todos os veículos de comunicação integrados a rede.

Desde 2007 o Compacto vem trazendo lançamentos diversificados em diversos aspectos e principalmente, em estilo musical agrupando um rico acervo cultural que atrai visitantes de todo o Brasil, só em 2009 foram mais de vinte mil downloads no ano. Já passaram pelo site bandas renomadas como Porcas Borboletas, Nevilton, Diego e o Sindicato, o rapper Linha Dura e outros. Em 2010 o projeto expandiu mais uma vez suas fronteiras em Outubro com seu primeiro lançamento internacional o álbum “YYY” da banda Falsos Conejos de Buenso Aires (ARG) além de ter sido recentemente contemplado pela Bolsa Funarte de Reflexão Crítica e Produção Cultural para Internet.

A Banda

O Cidadão Comum surgiu em 2000, e desde 2005 vem trabalhando seu repertório próprio, trazendo em suas músicas uma leitura crítica da atualidade, somando ao olhar sobre a periferia uma visão contundente sobre a própria sociedade que a produz.

A banda tem circulado pela cena independente, tendo tocado em festivais importantes do circuito Mineiro, como Transborda/BH, Jambolada/Uberlândia e no Festival de inverno de Ouro Preto.

O Disco

“Enquanto Isso na Cidade-Dormitório” traduz claramente o papel do Cidadão Comum nos seus mais de 10 anos de existência: sacudir com a sonolência de Ribeirão das Neves/MG, sua cidade de origem. A partir da poesia rasgada e de versos diretos, o EP de sete músicas pretende continuar fazendo “barulho” para ouvidos sonolentos e também outros mais atentos, de Neves ou de qualquer lugar.

O disco foi produzido pela banda e gravado em seu estúdio próprio mantido em casa. Toda a gravação foi feita com um set simples de equipamentos e sem a preocupação de um acabamento totalmente limpo. O resultado é propositalmente alto e sujo: cheio de sobras de guitarra, microfonias e overdrives em alto tom.

Diversas influências se alternam e se misturam num som que foge às fórmulas prontas. É o funk “original” que virou samba na dançante O Novo. É uma batida inspirada no Manguebeat que achou um vigoroso riff de rock em Automatismo. É o swing popular de O Menino é o Pai do Homem. É um rap chamado Dinheiro… São vários sons em um único CD, e é tudo rock: feito com guitarra, baixo, bateria e ponto.

Baixe o disco: www.compactorec.foradoeixo.org.br

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

A melhor banda brasileira da atualidade se apresenta em JF

 

 

 

 

 

 

 

 

O projeto “Noite Fora do Eixo” está de casa nova em Juiz de Fora. O Café Muzik, no centro da cidade, acaba de se tornar nosso parceiro nesta empreitada de intervenção no cenário cultural e de valorização da música independente. E para brindar a casa nova, o Coletivo Sem Paredes recebe ninguém menos que Macaco Bong!

Aclamada como a melhor banda brasileira da atualidade, ou simplesmente uma banda de rock, o trio desafia as teorias de morte da arte.

Direto do meio-centro calorento do Brasil (terras de índios Bororo), surge o power trio cuiabano em 2004, formado por Ynaiã Benthroldo, Ney Hugo e Bruno Kayapy.

O som é elegante e barulhento, roqueiro e sofisticado, doce e aflito!

Mas o que há de original em três jovens juntos tocando baixo, guitarra e bateria? Se considerarmos a época atual, onde já foi feito de tudo, já se ouviu de quase tudo, a pergunta se apresenta ainda mais intrigante. A princípio não há nada de novo. E é justamente aí que mora a grandiosidade desta banda: Sobre a mesma base musical de sempre, do material utilizado há décadas a exaustão, emerge uma música que surpreende, seduz pela técnica implacável e pelo apuro estético. E ao lembrarmos que tudo isso é conquistado sem a presença de letras nas músicas, a análise da unanimidade em torno do talento desta banda se mostra ainda mais interessante.

O som é sem dúvida rock, é música urbana com comportamento jazzístico. Porém o trio Macaco Bong explora a dinâmica do som como poucos, sua música não é linear, pelo contrário é excitante. As explosões, a sensualidade e a elegância que o som atinge marcam esta banda com o aparente paradoxo das criações ditas geniais: nobreza e leveza convivem harmonicamente desde sempre no som do trio.

Em 2008 o CD Artista Igual Pedreiro foi eleito o melhor do ano pela revista Rolling Stone Brasil. A banda acumula apresentações em festivais de música de todo país, (além de Argentina e Canadá) e começa 2011 lançando DVD e já em fase de pré-produção de seu próximo CD. Mais música boa vindo por aí…!

Dia 26 de fevereiro, no Café Muzik, MACACO BONG!

, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Terror Nacional no Cineclube Bordel sem Paredes

Dois representantes do terror nacional de ontem e de hoje vão tomar a tela do Cineclube Bordel Sem Paredes nesta quarta às 19 horas: O clássico marginal dirigido por José Mojica Marins,  “A Meia Noite Levarei sua Alma” de 1964 e o apavorante curta “Amor Só de Mãe” de Dennison Ramalho, um dos mais premiados curtas brasileiros da história.

 

 

 

 

 

 

Amor Só de Mãe – Dennison Ramalho (2003) Livremente inspirado no trágico samba-canção “Coração Materno”, de Vicente Celestino, a história se passa em uma aldeia de pescadores, onde acontecimentos macabros se desenrolam numa noite de satanismo, morte e orações à Nossa Senhora da Cabeça. Estrelado por Everaldo Pontes, Vera Barreto Leite e Débora Muniz, o filme é uma (rara) história de horror de matriz brasileira, e teve a colaboração, no roteiro, do pai de santo Pai Alex, do Terreiro de Umbanda do Pavilhão 8 da Casa de Detenção de SP.


 

 

 

 

 

 

A Meia Noite Levarei sua Alma – José Mojica Marins (1964)

O coveiro de uma pequena e supersticiosa cidade está cansado de sua ocupação e do pensamento mítico do povoado. Seu único desejo é encontrar uma mulher digna de carregar seu filho, que dará continuidade ao seu sangue. Para isso tem que se livrar de sua esposa incapaz de engravidar e encontrar uma nova companheira, sendo seu primeiro alvo a mulher de seu melhor amigo. À meia noite levarei sua alma, de 1964, é o começo da trilogia de Zé do Caixão. Seguem Esta noite encarnarei no teu cadáver, de 1967 e Encarnação do Demônio, de 2008. José Mojica Marins, diretor, roteirista e protagonista da trama é com certeza o maior e mais cultuado representante do horror no cinema brasileiro. Terror mambembe, terceiromundista, portanto pobre & original.O próprio diretor/roteirista assumiu o papel do sádico coveiro em sua busca insana pela mulher-perfeita-que-lhe-daria-o-filho-superior.Tudo regado com blasfêmias,sexo e violência.
QUARTA – 19 HORAS – ANFITEATRO JOÃO CARRIÇO ( AV. Rio Branco, 2234 (Prédio da Funalfa)- Centro)

Deixe um comentário

  • Twitter Sem Paredes

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.