Arquivo de novembro \30\UTC 2010

II Festival de Cenas Curtas de Juiz de Fora

A comédia “Psicos” foi para a final do Festival

Neste sábado será realizada a final do II Festival de Cenas Curtas de Juiz de Fora. Foram selecionadas 7 cenas, que serão reapresentadas no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, a partir das 19h. São elas: “Rápido” (direção Cristiano Fernandes), “Cisco nos olhos” (direção Marcos Marinho), “A teoria do que poderia ter sido” (direção Bárbara Dias), “A cartomante” (direção Marcelo Vilela), “Psicos” (direção Coletiva), “Estranho farol dos cacos”(direção Tom Brynner) e “Quarta-feira de Cinza” (direção Zezinho Mancini).

A cena “Psicos” (foto), comédia escrita por Tairone Vale e produzida por Ana Loureiro (Sem Paredes), conta no elenco com Marcos Bavuso, Samir Hauaji Tarcízio Dalpra Jr e o próprio autor, e promete arrancar novamente gargalhadas da platéia.

, , , , , , ,

1 comentário

SEM PAREDES NA TRIBUNA DE MINAS

CADERNO DOIS – TRIBUNA DE MINAS – DOMINGO, 28/11/2010.

CAFÉ COM GOSTO DE PORVIR

Raphaela Ramos
Repórter

 

Eles chegaram, tomaram seus lugares à mesa e logo pediram café. Estavam dispostos a conversar por horas e horas. Aos poucos, o debate sobre música autoral em Juiz de Fora ganhou ares de porvir. Mais café. Parecia surgir ali, naquele espaço inundado de CDs e DVDs, o combustível capaz de fazer a engrenagem rodar. Tal metáfora, aliás, foi sugerida pelos próprios participantes do encontro organizado pela Tribuna na Planet Music. No próximo dia 9, o coletivo Sem Paredes, que compõe o Circuito Fora do Eixo, promove por aqui sua primeira noite Fora do Eixo. O evento contará com as bandas Vandaluz, de Patos de Minas, e Martiataka, juiz-forana, ambas ligadas à produção autoral. A proposta fez escapar o questionamento: o público está disposto a abandonar o cover?

O compositor e violonista Lucas Soares, integrante da banda Darandinos e do duo SoaresCastro, afirma sem titubear: “a criação local está cada vez maior e com qualidade”. De acordo com ele, que assina canções incluídas em discos de diversos artistas, o “Encontro de compositores” contribuiu para que a atividade ganhasse viço por aqui. Realizado desde 2007, o projeto possibilita a troca de experiência e abre espaço para iniciantes. “Comecei a compor lá”, conta o baixista e membro do Conselho Municipal de Cultura (Concult) Fred Fonseca. Para ele, a ideia aprimorou a produção autoral, além de reunir aqueles que já vinham trabalhando de forma solitária. O compositor Arnaldo Huff, um dos fundadores da história, diz o mesmo pelo telefone: “o encontro nasceu da vontade de compartilhamento”.

Questão de sobrevivência
Por falar em agrupamentos artísticos, essa é a direção apontada por Lucas como potencializadora do novo. Segundo o músico, embora existam incentivos para a criação, ainda faltam possibilidades para o escoamento. “Temos a Lei Murilo Mendes que, apesar da necessidade de ajustes, viabiliza muito coisa. Mas não temos onde tocar.” O guitarrista e engenheiro de gravação Ricardo Rezende, sócio do Nave Estúdio, assevera que na década de 1980 havia mais casas de shows dispostas a se arriscar. Conforme complementa ele, a maior parte dos palcos locais elege a mercadoria e dispensa a arte. “O trabalho autoral é uma questão de sobrevivência da música brasileira”, contrapõe.

A partir disso, Lucas sugere táticas de guerrilha. “Precisamos andar pelas beiradas. O esquema dos bares já está viciado, não dá para começar por ele.” Fred Fonseca concorda, informando atuar como conselheiro administrativo da Cooperativa da Música de Minas (Comum) e da Federação das Cooperativas de Música do Brasil. “Núcleos fortes podem resgatar os espectadores. E, então, os empresários terão que se adequar. O que não vale é depender de assistencialismo.”

Ao contrário do que muitos pensam, porém, na opinião do baixista, há na cidade uma plateia disposta a descobrir novidades. O instrumentista Guto Gomes, integrante do Sem Paredes, acredita que, quando há espaço, as pessoas aparecem. De acordo com ele, muitos ouvintes estão sedentos por um trabalho autoral ou, pelo menos, com identidade própria. “É claro que essa fatia pode ser ampliada”, diz, pelo telefone.

Peões da música
Na visão de Fred Fonseca, o momento da virada está próximo. Ainda que muitas bandas se retirem do mercado local à procura de um um lugar ao sol, outras tantas permanecem confiantes. “Muitos comentam que a nossa classe artística é a mais organizada da cidade”, menciona, citando o Fórum da Música realizado semanalmente. De lá, partiram variadas propostas, entre elas, a Mostra da História da Música de Juiz de Fora, uma série de debates com a primeira edição marcada para a próxima quinta, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas.

Lucas lança na discussão o próprio exemplo. Apesar de estar com a agenda lotada de shows em outras localidades, permanece divulgando seus projetos por estas bandas. “O problema é que o músico daqui não é valorizado aqui.” De acordo com ele, quem se dedica somente ao processo autoral não vive de arte em Juiz de Fora. “É preciso escoar de outra forma. Agora, se o cara fizer cover com violão e voz ou tocar forró e sertanejo, a coisa é diferente.” Guto Gomes completa: “as duas atuações podem conviver, mas se existe um viés autoral, precisa ser mostrado”.

Por outro lado, conforme assegura Ricardo Rezende, a linha de frente de seu estúdio é a feitura de CDs artísticos, em sua maioria, juiz-foranos. “Isso significa que temos perspectiva.” O que não falta também é talento. Segundo Ricardo, a cidade acolhe bons profissionais para todas as etapas da cadeia de produção. Com o movimento musical se fortalecendo, justifica ele, os profissionais foram estudar. Além disso, como arremata Fred, o artista contemporâneo é aquele que se arrisca em todas as funções. “Somos peões da música.”

 

, , , , , ,

Deixe um comentário

Imaginasom

O Quinteto São do Mato apresenta na próxima terça o show IMAGINASOM – 20 horas no Cine Theatro Central

Com o propósito de realizar uma versão moderna do cinema mudo o IMAGINASOM é construído com trechos de filmes do cinema mundial e sintetiza a pluralidade musical e a riqueza visual explorada pelos músicos e vj’s, que elaboram arranjos originais para as obras de diretores como: Charlie Chaplin, Emir Kusturica, Theo Angelopus, Giuseppe Tornatore, Jean-Pierre Jeunet, Guel Arraes e Stanley Kubrick. O Quinteto São do Mato apresenta na próxima terça o show IMAGINASOM, 20horas no Cine Theatro Central

Ingressos antecipados: R$10,00vendas: Mundo Mágico – Rua Espírito Santo 1212 – dias 20 e 28/11 no Cine Theatro Centralou pelos telefones: 9108-7162 – Maíra 8876-2425 – Nara

Deixe um comentário

Carta de Notícias – Sem Paredes

Deixe um comentário

Recife: Capital Nacional do Cineclubismo

Pelos Direitos do Público


Na próxima semana, estaremos participando da 28ºJornada Nacional de Cineclubes que vai acontecer em Recife representando o Cineclube Bordel sem Paredes.

 

Celebrar a consolidação da rearticulação do movimento cineclubista brasileiro, sua reconhecida liderança e protagonismo no cenário mundial nas lutas pela democratização do acesso à cultura audiovisual, pelo fortalecimento das diversidades e identidades culturais e pelos direitos do público. Estes são os principais objetivos da 28ª Jornada Nacional de Cineclubes, da 3ª Conferência Mundial de Cineclubismo e da Assembléia Geral da FICC – Federação Internacional de Cineclubes que serão realizadas entre 5 e 11 de dezembro em Recife (PE).

 

Organizados pelo CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros em parceria com a FEPEC – Federação Pernambucana de Cineclubes e com a FICC – Federação Internacional de Cineclubes, os eventos já tem confirmadas as participações de delegados de mais de 250 cineclubes que desenvolvem atividades de difusão audiovisual em todos os 27 estados brasileiros, de representantes de federações nacionais cineclubistas filiadas à FICC – Federação Internacional de Cineclubes em mais 50 países do mundo, de lideranças das principais entidades não governamentais do audiovisual brasileiro e das mais importantes autoridades governamentais da cultura do brasileiros.

Segundo Antonio Claudino de Jesus, presidente do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros e Vice Presidente da FICC – Federação Internacional de Cineclubes “neste período, Recife será momentaneamente a capital mundial do movimento cineclubista e neste sentido, todas as milhares de pessoas que no mundo inteiro lutam e militam pela democratização do acesso à informação, aos meios de acesso e aos instrumentos do fazer cultural, pelo respeito e fortalecimento das identidades e diversidades culturais e pelos direitos do público, estejam ou não presentes, estarão antenados e acompanhando os debates que acontecerão na capital pernambucana”.

Ainda segundo Claudino de Jesus, a realização destes eventos em Recife além de marcar a consolidação da rearticulação do movimento cineclubista brasileiro iniciada em 2003, fortalecerá ainda mais a liderança e protagonismo que vêm sendo desenvolvidos pelos cineclubistas brasileiros nos últimos anos, quer no cenários dos movimentos do audiovisual nacional ou internacional.

“Estaremos em Recife comemorando os resultados alcançados por um processo iniciado em 2003, numa situação na qual o movimento cineclubista brasileiro se encontrava completamente desorganizado e desarticulado nacional e internacionalmente. Lembro-me bem. Na primeira reunião que foi articulada com o objetivo de resgatar e reorganizar o movimento cineclubista brasileiro, organizada pelo companheiro Leopoldo Nunes, que na época era chefe de Gabinete do Ministro Gilberto Gil, éramos menos que uma dezena de cineclubistas. Tal reunião resultou na realização da 24ª Jornada Nacional de Cineclubes que aconteceu em 2004 durante o Festival de Brasília e que contou com a participação de representantes de cerca de 60 cineclubes brasileiros. Pois bem, sete anos depois, graças a militância de centenas de novos militantes, do apoio e das políticas públicas implantadas pelo Governo Federal (e também de alguns governos estaduais e municipais) fico extremamente feliz em anunciar ao Brasil e ao mundo todo de que hoje o movimento cineclubista brasileiro está vivo e mais atuante como nunca se verificou na história. Prova disso é que nacionalmente, o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros conta hoje com cerca de 500 cineclubes filiados e está presente em todos os 27 estados da federação, dentre os quais em pelo menos 5 já conseguimos nos rearticular institucionalmente em nível estadual. E isso ainda é pouco já que sabemos que existem atualmente mais de 1000 cineclubes em atividade no país. Já do ponto de vista da participação e representação institucional junto às instâncias nacionais e internacionais do setor audiovisual temos também muito a comemorar, afinal, restabelecemos, fortalecemos e avançamos muito dentro da proposta inicial que era de apenas recuperar os espaços que tínhamos perdido. Prova disso é que hoje, através do CNC, o movimento cineclubista brasileiro ocupa a vice presidência da FICC – Federação Internacional de Cineclubes, vários cargos na Diretoria Executiva e no Conselho do CBC – Congresso Brasileiro de Cinema, restabeleceu parcerias com as principais entidades não governamentais do audiovisual brasileiro e participade vários instâncias consultivas e deliberativas governamentais federais, estaduais e municipais.”

Finalizando, o Presidente do CNC declarou: “Temos sim muito a comemorar, mas sabemos que a luta continua e que portanto, precisamos nos manter unidos e molilizados. E este é o sentido e o objetivo maior destes eventos que realizaremos em Recife.”

Deixe um comentário

Cidade dos Sonhos

O filme desta semana no Cineclube Bordel sem Paredes, foi Cidade dos Sonhos, um dos grandes filmes dos últimos tempos dirigido pelo cineasta David Lynch. História tortuosa, com uma trama que leva o espectador para um universo onírico totalmente submerso em um mundo sonhos.

Cerca de 25 pessoas estiveram presentes à sessão, em dia de grande tempestade na cidade. Ao final da sessão, a médica antroposófica Marilise Paraíso, falou sobre os arquétipos femininos presentes no filme e o público participou do debate lançando interpretações diante dos enigmas e reflexões presentes no filme.

Uma das questões intuitivamente levantadas por uma das espectadoras, foi a relação que o pensamento do diretor tem com a meditação e a estado de consciência da mente através de mistérios escondidos no filme, teoria que David Lynch prega através da meditação transcedental tendo inclusive lançado o livro “Águas Profundas – Criatividade e Meditação”.

Deixe um comentário

I Noite Fora do Eixo/Juiz Fora

Juiz de Fora ganhará a sua primeira Noite Fora do Eixo. No cardápio: Martiataka, banda juiz-forana que participou com louvor do Grito Rock 2010 (Circo Voador/Rio), e Vandaluz, diretamente de Patos de Minas para a Rede Fora do Eixo.

As Noites FDE são eventos promovidos pelos Pontos Fora do Eixo em todo o Brasil e Juiz de Fora, através do Coletivo Sem Paredes, iniciará esse processo de movimentação da produção autoral com sua noite de estréia.

As bandas convidadas são veteranas e têm muita história pra contar. Vandaluz gravou de forma independente, seu primeiro CD “Ascende”, no final de 2007, e, a partir daí,  foi convidada a se apresentar em várias cidades do Brasil, em festivais de relevada importância. A banda recentemente lançou se primeiro vídeo clipe, intitulado Lucidez, que foi veiculado na programação da emissora nacional “MTV”.

Maritataka estreou em abril de 2001. Depois de ganhar manha nos palcos das festas universitárias e bares de Juiz de Fora, naquele mesmo ano, lançou seu primeiro CD demo. Aí veio o segundo, e depois o disco de estreia, mais um EP, participações em coletâneas, mais um disco e um merecido lugar de destaque entre as mais atuantes bandas de rock do cenário independente de Minas Gerais.

LISTA DE BANDAS
O Sem Paredes irá receber material de bandas que queiram participar de eventos promovidos pelo Coletivo. Para os interessados, basta levar o CD e clipping (se houver) e se cadastrar no local do evento. O material recebido será avaliado para futuros contatos.

LISTA AMIGA
A Lista Amiga oferece desconto na portaria e, para participar, é necessário enviar um e-mail para lista@coletivosemparedes.com.br, até o meio-dia de 09/12, data do evento, com o nome completo, profissão, data de nascimento e endereço.

Para conhecer melhor as bandas, acesse:
http://www.martiataka.com
http://vandaluz.blogspot.com

O evento irá acontecer no Paradiso Bar, no bairro Aeroporto.  Rua das Margaridas, 245.

, , , , , , ,

Deixe um comentário